Como Chegar

PRESÉPIO DA CASA FIAT DE CULTURA: NASCE UMA TRADIÇÃO

PRESÉPIO DA CASA FIAT DE CULTURA: NASCE UMA TRADIÇÃO

Sob curadoria do artista plástico Leo Piló, público transformou materiais reutilizados no Presépio em tamanho natural que será aberto nesta quarta-feira, 25 de novembro

A tradição do Natal vai muito além da mesa farta, da troca de presentes e da decoração da árvore. Antes mesmo de incorporar tudo isso à cultura natalina, certo ato primordial era transmitido de geração a geração: a montagem dopresépio. Quem passar por Belo Horizonte nessa época do ano poderá conhecer um deles, inteiramente criado com materiais reutilizáveis e feito de forma colaborativa com o público, sob curadoria do artista plástico Leo Piló. Trata-se do Presépio da Casa Fiat de Cultura, que será aberto à visitação no dia 25 de novembro, com entrada gratuita.

Nesse dia, às 19h30, o público terá a oportunidade de saber mais sobre o processo de cocriação do Presépio, por meio de um bate-papo com o artista Leo Piló, no Espaço Multiuso da Casa Fiat de Cultura. Em seguida, haverá “contação” da história “O boi e o burro no caminho de Belém”, texto de Maria Clara Machado, adaptado e apresentado pela educadora da Casa Fiat de Cultura, Clarita Gonzaga. Oficinas de Natal também integram a programação do mês de dezembro.

Ao longo do mês de novembro, mais de 150 pessoas se uniram ao artista Leo Piló – nome que se destaca no panorama artístico quando o assunto é arte com sustentabilidade. Eles foram responsáveis por desenvolver o cenário e dar vida aos personagens do Presépio: a Sagrada Família, os três reis magos, o pastor e os animais – ovelhas, boi e burro. Assim como feito por São Francisco de Assis, em 1223, quando foi representada a cena do nascimento de Cristo pela primeira vez, o Menino Jesus passará a integrar o Presépio apenas no dia 24 de dezembro.

O “protagonista” da montagem foi o papel, que, antes, era material descartado. Neste caso, ele fez as vezes de principal matéria-prima da confecção. Por meio da técnica do papel colê (papietagem), com jornal, o público criou mãos, pés e rostos de cada personagem, que contaram com estruturas de papelão. Os animais do cenário também foram produzidos com jornal. Já as vestimentas dos personagens foram feitas de plástico e lã de isopor, um dos resíduos mais agressivos ao meio ambiente, mas que já sai preparado para a reciclagem da Ilha Ecológica da fábrica da Fiat Automóveis, em Betim – a exemplo de outros vários materiais. Alguns papéis usados vieram da Associação dos Catadores de Papel, Papelão e Material Reaproveitável (Asmare).

Para o presidente da Casa Fiat de Cultura, José Eduardo de Lima Pereira, o Presépio representa muito mais do que uma busca do tempo perdido. “Essa iniciativa deseja provocar uma reflexão sobre as comemorações do Natal, que, com o tempo, esqueceram-se do personagem principal, o Menino Jesus. Afinal, o Salvador nasceu na pobreza, foi refugiado, sofreu discriminação. Existe algo mais atual para nossa meditação?”, destaca.

O Presépio da Casa Fiat de Cultura alia tradição e inovação, numa reflexão sobre união, colaboração, coletividade, ressignificação e sustentabilidade. O artista plástico Leo Piló explica que a tradição está em remeter aos natais em que as famílias se reuniam para celebrar o nascimento de Jesus – e montavam presépios – e à inovação, ligada à maneira de construção: “Pessoas de todas as idades, às vezes, desconhecidas umas das outras, reúnem-se em encontros e oficinas para trabalhar na montagem desta cena em tamanho natural, feita de modo tão especial. Vivemos uma atualidade de desperdícios e escassez mundial. Para equilibrarmos a balança entre a oferta e a demanda de recursos naturais, muitas coisas precisam mudar! Neste cenário, Maria, José e o Menino trazem, de forma tão singela e delicada, esta mensagem de urgência e esperança, provocando o reatar dos laços de afeto e colaboração e incentivando a reinvenção do mundo”, acrescenta.

Bate-papo com Leo Piló

No dia da abertura do Presépio da Casa Fiat de Cultura, 25 de novembro, às 19h30, o público participa de bate-papo com o artista plástico Leo Piló, que contará o passo a passo da criação do Presépio. Será abordada a origem dos materiais reutilizados, a inspiração para planejar a instalação em tamanho natural e o processo colaborativo dos visitantes em cada etapa, além da importância de aliar arte e sustentabilidade e de repensar atitudes e ideias. O público também poderá ver um making of da criação do Presépio da Casa Fiat de Cultura, por meio de fotos das oficinas, em que o público cria, peça por peça, numa grande ação colaborativa.

Contação de história – “O boi e o burro no caminho de Belém”

Logo após o bate-papo com o artista Leo Piló, o público participará da “contação” da história de uma das mais tocantes narrativas sobre o nascimento do Menino Jesus: “O boi e o burro no caminho de Belém”. Adaptada a partir do texto de Maria Clara Machado, a história apresenta o episódio sob a visão de um boi e um burro. Com cenas divertidas e bem-humoradas, o enredo cativa o público. Personagens reais e fictícios, como pastores, reis magos, rainhas magas, anjos, o povo e a Estrela misturam-se à frente dos dois animais, até que, com a chegada de Maria, de José e do menino Jesus, a montagem de um presépio se completa.

Maria Clara Machado escreveu o texto, em 1953, como peça de teatro, e foi a estreia da autora com o público infantil. O auto de natal, pensado, a princípio, para o teatro de bonecos, acabou adaptado para ser interpretado por atores. A peça foi encenada, pela primeira vez, em 1953, pela própria Maria Clara – com O Tablado, grupo fundado por ela em 1951, no Rio de Janeiro. Sob direção da escritora, o espetáculo seria também apresentado em 1954, 1957 e 1959, basicamente, com a mesma equipe.

Oficinas de Natal

Como parte da programação de Natal, o Programa Educativo da Casa Fiat de Cultura preparou uma série de oficinas para envolver toda a família. Os trabalhos começam com a Oficina de Brinquedos – Pequenos Reparos, em que os participantes levarão brinquedos antigos para serem revitalizados. Na atividade, os participantes têm a oportunidade de compartilhar técnicas simples para pequenos reparos nos objetos, que serão doados, em uma ação coletiva de Natal, a crianças carentes. Dividida pelos tipos de brinquedos, nos dias 1, 3 e 5 de dezembro, serão recuperados bonecas e bonecos. Os participantes realizarão a higienização e a revitalização de pele, cabelo e face, além de confeccionarem roupinhas e sapatos.

Já nos dias 8, 10 e 12 de dezembro, é a vez dos veículos e animais de plástico e madeira ganharem cara nova. Os brinquedos de pelúcia e pano ganham forma outra vez, nas oficinas dos dias 15, 17 e 19 de dezembro. As inscrições serão feitas, presencialmente, na Casa Fiat de Cultura, a partir do dia 24 de novembro, e é necessário que o participante leve um brinquedo a ser restaurado e doado posteriormente, para que possa ser higienizado antes do início das atividades. Todas as oficinas serão realizadas às terças e quintas, das 19h às 21h, e, aos domingos, das 14h às 18h.

As árvores de Natal dos visitantes ficarão mais coloridas com os Passarinhos de Natal. Na oficina, os participantes poderão fazer um enfeite cheio de delicadeza: um passarinho construído a partir de técnicas de colagem e patchwork, que será levado para casa. Um toque colorido de poesia para tornar a data ainda mais especial! As oficinas serão realizadas às quartas, nos dias 2, 9 e 16 de dezembro, de 15h às 17h, e, aos sábados – 5, 12 e 19 –, de 10h às 12h. As inscrições começam no dia 25 de novembro, pelo telefone (31) 3289-8910, ou no próprio local, nos dias de realização da oficina.

Os tradicionais cartões de Natal ganham uma versão coletiva e em tamanho família. Na Oficina de Xilogravura, os visitantes da Casa Fiat de Cultura serão convidados a deixar suas marcas em um imenso cartão coletivo de Natal. Os participantes serão apresentados à técnica da xilogravura e poderão participar de todo o processo de gravação, prova e impressão. As oficinas serão realizadas nos dias 29 de novembro6, 13 e 20 de dezembro, das 10h às 12h, e das14h às 18h. As inscrições podem ser feitas a partir do dia 25 de novembro, pelo telefone (31) 3289-8910, ou no próprio local, nos dias de realização da oficina.

Atividade Dias Horário Inscrição
Abertura do Presépio da Casa Fiat de Cultura 25 de novembro 19h30 Não é necessário fazer inscrição
Bate-Papo com Léo Pilo sobre a criação doPresépio 25 de novembro 19h30 Não é necessário fazer inscrição, sujeito a lotação do espaço (200 lugares)
Contação da História “O boi e o burro no caminho de Belém” 25 de novembro Após o bate-papo com Leo Piló Não é necessário fazer inscrição, sujeito a lotação do espaço (200 lugares)
Oficina de Brinquedos – Pequenos Reparos – Bonecos  1, 3 e 5 de dezembro Terças e quintas, das 19h às 21h e domingos, das 14h às 18h. As inscrições serão feitas presencialmente na Casa Fiat de Cultura, a partir do dia 24 de novembro e é necessário que o participante leve um brinquedo a ser restaurado e doado posteriormente, para que possa ser higienizado antes do início das atividades.12 vagas para cada oficina 
 Oficina de Brinquedos – Pequenos Reparos – Veículos e animais de plástico  8, 10 e 12 de dezembro Terças e quintas, das 19h às 21h e domingos, das 14h às 18h. As inscrições serão feitas presencialmente na Casa Fiat de Cultura, a partir do dia 24 de novembro e é necessário que o participante leve um brinquedo a ser restaurado e doado posteriormente, para que possa ser higienizado antes do início das atividades.12 vagas para cada oficina 
Oficina de Brinquedos – Pequenos Reparos – Ursinhos de Pelúcia  15, 17 e 19 de dezembro Terças e quintas, das 19h às 21h e domingos, das 14h às 18h. As inscrições serão feitas presencialmente na Casa Fiat de Cultura, a partir do dia 24 de novembro e é necessário que o participante leve um brinquedo a ser restaurado e doado posteriormente, para que possa ser higienizado antes do início das atividades.12 vagas para cada oficina 
Passarinhos de Natal 2, 9 e 16 de dezembro Das 15h às 17h Inscrições a partir do dia 25 de novembro pelo telefone 31-3289-891012 vagas para cada oficina 
5, 12 e 19 de dezembro Das 10h às 12h
Xilogravura de Natal – Cartões de Natal 29 de novembro6, 13 e 20 de dezembro 10h às 12h e de 14h às 18h Inscrições a partir do dia 25 de novembro pelo telefone 31-3289-891012 vagas para cada oficina
Música na Capela com Coral Sesiminas 20 de dezembro 11h Não é necessário fazer inscrição, sujeito à lotação do espaço (200 lugares)
Missa Especial de Natal 24 de dezembro 19h Não é necessário fazer inscrição

*O Presépio da Casa Fiat de Cultura também integra a programação e fica aberto para visitação até o dia 6 de janeiro.

A tradição do presépio

Os presépios são tidos como uma das mais antigas tradições do Natal. O termo refere-se ao local de nascimento do Menino Jesus, e vem do latim praesaepe, ou seja, berço, manjedoura, mas também um cercado, antes do estábulo, onde se mantêm ovinos e caprinos. Segundo conta a Bíblia, depois de muito tempo à procura de um lugar para se abrigar, devido à fuga da Galileia, José e Maria tiveram que pernoitar numa gruta ou cabana nas imediações de Belém. Maria, então, deu à luz o pequeno Jesus, em uma manjedoura destinada a animais. Os pastores da região – avisados por um anjo – e os três Reis Magos, guiados até a gruta pela Estrela de Belém, reconheceram o menino como “O Salvador”.

A tradição do presépio surgiu com São Francisco de Assis, na cidade italiana de Greccio, no ano de 1223. No lugar da tradicional celebração do Natal na igreja, São Francisco, tentando relembrar a simplicidade e as dificuldades enfrentadas na ocasião do nascimento do Menino Jesus, montou o cenário em uma gruta em uma floresta na região, com os personagens bíblicos esculpidos em argila, a manjedoura e os animais vivos, para explicar às pessoas menos instruídas o significado e a forma do nascimento do menino Jesus.  A iniciativa agradou os moradores da região e, rapidamente, a ideia se espalhou por outras partes da Europa – e, mais tarde, pelo mundo, inclusive para o Brasil. Já no século XVIII, o costume italiano de manter o presépio nas salas dos lares com figuras de barro ou madeira estava completamente inserido nas tradições natalinas.

O artista Leo Piló

Mineiro de Belo Horizonte, Léo Piló é um artista inquieto, criativo e dinâmico. Apresenta trabalhos inusitados, feitos de materiais não convencionais, treinando os olhares para novas possibilidades de construção – que revise atitudes e métodos de redução, reciclagem e reutilização – e de meios de sustentabilidade. Sempre compartilhando as técnicas desenvolvidas através do aprendizado, o artista procura criar um elo entre arte e natureza, promovendo metodologia de reutilização de resíduos urbanos, gerando novas possibilidades inseridas na realidade atual, em termos de cultura, arte, educação, recursos econômicos e outros benefícios.

Durante quase 15 anos, o artista trabalhou na associação Asmare e ministrou várias oficinas de cenografia, costura, novas possibilidades, papelaria e marcenaria. Um dos grandes destaques de sua carreira foi a exposição “Lixoarte”, que buscava criar, com materiais recicláveis, móveis e objetos para mobiliar uma casa. Em 2014, Leo Piló criou instalações para a exposição “Recosturando Portinari na Casa Fiat de Cultura, por Ronaldo Fraga”.

 

Ilha Ecológica da Fiat Automóveis

A Fiat foi a primeira fábrica do setor automotivo do país a destinar 100% dos resíduos que gera para a reciclagem e a reutilização, como resultado do projeto “Aterro Zero”. Os resíduos descartados seguem para a Ilha Ecológica, dentro da fábrica em Betim, onde os materiais têm destino certo. Cerca de 100 trabalhadores fazem a triagem e o armazenamento dos resíduos, até o envio para a reciclagem e a reutilização.

Um diferencial da Ilha Ecológica é a usina de reciclagem de isopor. A tecnologia, criada pela Fiat, reduz o volume do material 50 vezes. O isopor transforma-se em pequenos grãos de plásticos que, enviados para uma empresa de reciclagem, são matéria-prima para a fabricação de canetas e capas de CDs. Se o isopor reciclado nos últimos cinco anos fosse disposto em fila, ocuparia o percurso entre as cidades do Rio de Janeiro e São Paulo.

Da Ilha Ecológica também sai a matéria-prima para a Cooperárvore, cooperativa de moda sustentável que faz parte da plataforma “Árvore da Vida”, projeto social da Fiat Automóveis na comunidade do Jardim Teresópolis, em Betim. Desde 2006, 24 toneladas de cinto de segurança e tecido automotivo transformaram-se em fonte de renda para a cooperativa na criação de bolsas e outros acessórios e geração de trabalho e renda para a comunidade.

Asmare

A Associação dos Catadores de Papel, Papelão e Material Reaproveitável (Asmare) foi criada em 1990, por vinte catadores de papel, numa parceria com a Pastoral de Rua, tendo como objetivo criar novos postos de trabalho e melhores condições de vida por meio das experiências adquiridas pelos moradores de rua. Hoje, a Asmare possui cerca de 250 associados e beneficia 1.500 pessoas indiretamente. Além do trabalho realizado pelos catadores, a Associação possui convênio com escolas, empresas, condomínios, órgãos públicos, dentre outros, para coleta de material reciclável.

Arte sustentável

A história mostra que sempre houve correlação entre a arte e o universo que a cerca, refletindo hábitos, valores, significados e ideais dos sujeitos de cada época. Neste sentido, as interações entre o mundo da arte e da sustentabilidade constituem uma tendência da contemporaneidade, tendo em vista o desperdício e o descarte de bens duráveis e efêmeros, incentivados pela cultura do consumo, tendo como resultado diversos problemas ligados ao acúmulo de lixo nos grandes centros urbanos.

Surge, então, a busca por estruturas estéticas que correspondam à expansão das reflexões sobre as transformações sofridas pelo meio ambiente e estimuladas pelo consumo acelerado. Desse modo, os problemas ambientais passam a ser tema e fonte de inspiração para artistas plásticos. Esses profissionais estão aderindo, cada vez mais, à criação sustentável. Muitas vezes, a mudança é tão grande que os produtos finais não se parecem nada com material reciclado.


SERVIÇO

Presépio da Casa Fiat de Cultura

Com curadoria de Leo Piló

 

Abertura do Presépio para visitação: 25 de novembro

Até 6 de janeiro de 2016

 

De terça a sexta, das 10h às 21h

Sábado, domingo e feriados, das 10h às 18h

 

Oficinas de Natal

 

Oficina de brinquedos – pequenos reparos

 

Bonecos e Bonecas

01, 03 e 05 de dezembro

 

Veículos e Animais de Plástico e Madeira

08, 10 e 12 de dezembro

 

Panos e Pelúcias

15, 17 e 19 de dezembro

 

Terças e quintas, de19h as 21h

Domingos, de 14h as 18h.

 

Inscrições

A partir de 20 de novembro, na Casa Fiat de Cultura

 

No ato da inscrição, os participantes deverão trazer um brinquedo (exceto eletrônicos), que será higienizado e restaurado durante oficina e encaminhado para doação, em uma ação coletiva de Natal.

 

Participação sujeita a lotação (20 pessoas por turma)

Oficina de passarinhos de natal

02, 05, 09, 12, 16 e 19 de dezembro

Quartas, de 10h as 12h e de 15h às 17h.

Sábados, de 10h às 12h

 

Inscrições:

A partir de 25 de novembro, pelo telefone (31) 3289-8910 ou no próprio local, nos dias de realização da oficina.

 

Participação sujeita a lotação (12 pessoas por turma)

 

Oficinão de xilogravura: xilo coletiva de natal

 

29 de novembro, 06, 13 e 20 de dezembro

Domingos, de 10h as 12h e de 14h as 18h

22 de dezembro –  Somente impressão

a partir de 15h

 

Inscrições

A partir de 25 de novembro pelo telefone (31) 3289-8910 ou no próprio local, nos dias de realização da oficina.

 

Participação sujeita a lotação (12 pessoas por turma)

 

Entrada gratuita

 

Casa Fiat de Cultura

Praça da Liberdade, 10, Funcionários

 

Informações

(31) 3289-8900

www.casafiatdecultura.com.br

casafiat@casafiat.com.br

facebook.com.br/casafiatdecultura

Instagram:@casafiatdecultura

www.circuitoculturalliberdade.com.br

 

Informações para imprensa:

 

Personal Press

Polliane Eliziário

(31) 9788-3029 | polliane.eliziario@personalpress.jor.br

 

Anne Morais

(31) 9223-6076 | anne.morais@personalpress.jor.br

 

Balklänning Robe De Mariée Robe De Mariée Balklänning