Como Chegar

Mês do Patrimônio na Casa Fiat de Cultura

Em 17 de agosto, comemora-se o Dia Nacional do Patrimônio Histórico, momento para reforçar a importância da preservação e da valorização do patrimônio de nossas cidades. Ao refletir sobre a relevância da interação entre patrimônio e comunidade, a Casa Fiat de Cultura preparou uma programação especial para este mês. Entre os dias 8 e 11 de agosto, será realizada a conservação do painel de Candido Portinari, “Civilização Mineira” (1959), instalado no hall principal, em um ateliê aberto à visitação do público, com entrada gratuita. O ateliê de conservação funcionará todos os dias, das 10h às 12h e das 13h às 18h. Por seu valor artístico e simbólico, o painel também é o ponto principal do Encontros com o Patrimônio, novo percurso de visitação ao prédio, o antigo Palácio dos Despachos, a ser lançado no dia 6 de agosto, e tema de dois ateliês abertos ao público: Recolorindo Portinari e Fotografando Portinari. Toda programação é gratuita.

Desde que instalou sua sede em um edifício histórico, a Casa Fiat de Cultura desenvolve ações permanentes, voltadas à valorização do patrimônio, de modo a contribuir para o fortalecimento da identidade cultural da comunidade mineira. A programação especial em comemoração ao Dia Nacional do Patrimônio Histórico é uma realização da Casa Fiat de Cultura, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, do Ministério da Cultura, e conta com o apoio de Grupo Fiat Chrysler Automobiles (FCA), Banco Fidis, Fiat Finanças, CNH Industrial, New Holland, Banco Safra, Circuito Liberdade, Instituto Estadual do Patrimônio Histórico (Iepha), Governo de Minas e Governo Federal.

A conservação do painel de Portinari será feita pelo Grupo Oficina de Restauro, mesma equipe de especialistas que realizou a restauração da obra em 2013, quando a Casa Fiat de Cultura assumiu a salvaguarda da obra. De acordo com a coordenadora do projeto, Rosângela Reis Costa, “o exercício de avaliação e intervenção periódicas ao painel é essencial para que o trabalho original do pintor seja preservado, evitando perdas irreparáveis ou a necessidade de nova restauração, medida tomada, apenas, quando a obra já está muito danificada pelo tempo e por manuseio indevido”.

Com o intuito de sensibilizar as pessoas quanto à relevância da preservação do patrimônio público e do minucioso trabalho de conservação de uma obra de arte, o ateliê, que será montado no hall principal da Casa Fiat de Cultura, ficará aberto à visitação, com entrada gratuita, para receber estudantes de artes plásticas, restauro, museologia e demais interessados. “A Casa Fiat de Cultura, como guardiã desse importante patrimônio da história da pintura e da arte brasileiras, sente-se muito feliz em mostrar ao público o trabalho dos restauradores: agindo silenciosa e ocultamente, esses homens e mulheres são a ponte que liga nosso belo passado às gerações futuras”, destaca o Presidente José Eduardo de Lima Pereira.

Processo delicado, o trabalho de conservação será feito em quatro etapas.

1ª etapa: O painel será higienizado por inteiro, com o uso de trincha (um tipo de pincel) de cerdas macias para retirar a poeira; pontualmente, um solvente será usado para remoção de possíveis manchas causadas por excrementos de insetos.

2ª etapa: Fixação das películas de tinta em descolamento e dos craquelês, microfissuras na pintura. Isso ocorre porque a umidade do ar influencia o inchaço e a retração da madeira compensada, que é base do painel, e a tinta que o cobre não acompanha esses movimentos naturais da madeira, sofrendo pequenas rachaduras.

3ª etapa: Serão feitos retoques nas perdas do painel. Trata-se de pequenos pontos onde a tinta se soltou completamente, e, por meio do estudo das cores e das técnicas usadas pelo artista, é possível recuperar a pintura. As lacunas serão cobertas com uma massa base de preparação e, depois, revestidas com aquarela e guache profissionais. O uso de tintas diferentes das que Portinari usou – têmpera e óleo – deve-se ao princípio de que toda intervenção feita em obras de arte deve ser reversível, ou seja, precisa ter a possibilidade de ser removida. “Caso novos estudos demonstrem que há melhores técnicas para conservação e restauração ou a técnica atual venha a apresentar problemas, ela será removida sem causar danos à pintura original. O retoque do profissional de conservação deve se assemelhar à pintura do artista, mas a tinta usada deve ter uma composição química diferente, para que, em uma possível remoção com determinado produto, a tinta original não seja removida junto”, explica Rosângela.

4ª etapa: A última etapa da conservação é a imunização preventiva contra a infestação de cupins, um dos principais problemas encontrados pela Oficina de Restauro na intervenção feita em 2013. O imunizante é passado nas bordas da obra, onde a madeira é aparente.

Serviço
Visita ao ateliê de conservação do painel de Candido Portinari
Período: 8 a 11 de agosto
Horário: das 10h às 18h (com intervalo entre 12h e 13h)
Entrada gratuita.

Tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), este é o maior painel de Candido Portinari em Minas Gerais, medindo 2,34 X 8,14 metros. Em exposição permanente, a obra conta, agora, com ficha técnica em braile, além de peças multissensoriais que fazem parte dos recursos de mediação para pessoas com deficiência visual. O painel retrata a mudança da capital mineira, da cidade de Ouro Preto para Belo Horizonte, em 12 de dezembro de 1897. Em meio à paisagem, a presença de Tiradentes e outras personalidades retoma outro marco da história do Estado: a Inconfidência Mineira (1789). Com técnica mista, têmpera e óleo, a obra é caracteristicamente modernista, sem abrir mão de fundamentos da pintura clássica. Portinari (1903 – 1962) é considerado um dos maiores artistas brasileiros do século XX, tanto por sua produção estética quanto pela atuação consciente nos âmbitos cultural e político.

No dia 6 de agosto, a Casa Fiat de Cultura lança o percurso de visitação Encontros com o Patrimônio. O público será conduzido pelo prédio, antigo Palácio dos Despachos, com o acompanhamento da equipe do Programa Educativo, que abordará conteúdos artístico, histórico e arquitetônico. O primeiro encontro será realizado nos horários de 10h30, 14h e 16h, com grupos de até 25 pessoas, e entrada gratuita. O programa ocorre sempre no primeiro domingo de cada mês, até o fim de 2017. Não é necessário fazer inscrição, e a participação é gratuita.

Com esse novo programa, a Casa Fiat de Cultura pretende ampliar o acesso ao patrimônio. “O público conhecerá a história do edifício, e será estimulado a observar como o uso social do patrimônio se transforma ao longo do tempo, além de refletir sobre o papel da comunidade neste processo”, ressalta a Coordenadora do Programa Educativo Clarita Gonzaga. A atividade parte do conceito contemporâneo de que existem dois tipos de patrimônio: material e imaterial. O patrimônio material é aquele construído manualmente: as obras de arte e as edificações. Já o patrimônio imaterial é formado pelo comportamento social: práticas festivas, religiosas e tradições em geral. Seguindo esse conceito mais amplo de patrimônio, a Casa Fiat de Cultura se responsabiliza não apenas por manter o edifício histórico conservado, mas, também, em permitir que a comunidade utilize este bem cultural para que ele continue fazendo parte da memória coletiva da cidade.

O percurso se inicia com a história da construção do Palácio dos Despachos, onde anteriormente funcionava a sede administrativa do Governo do Estado, até a instalação da Casa Fiat de Cultura, em 2014, para se integrar ao Circuito Liberdade de Belo Horizonte. Ao passar pelo painel de Portinari, serão abordados os aspectos históricos e artísticos da obra, assim como o processo de restauração da pintura. A visita termina nos jardins da Casa Fiat de Cultura, onde fica a Capela de Santana. Será abordado o estilo arquitetônico do edifício; além disso, o público descobrirá como a história de sua construção se mistura ao imaginário popular em uma lenda urbana, e poderá perceber a transformação de seu uso social: o espaço que até 2014 era reservado apenas para cerimônias oficiais, hoje abriga celebrações abertas à comunidade por iniciativa da Casa Fiat de Cultura. Atualmente, a capela também é palco para corais e orquestras de câmara, que se apresentam no programa Música na Capela.

Serviço
Encontros com o Patrimônio
Lançamento: 6 de agosto
A partir de setembro: primeiro domingo do mês até o fim de 2017
Horários: 10h30, 14h e 16h
Participação gratuita. Não é necessário fazer inscrição. Limite de 25 pessoas por horário.

Ainda refletindo sobre o papel social da Casa Fiat de Cultura no processo de interação entre patrimônio e comunidade, o Programa Educativo elaborou duas atividades para pessoas de todas as idades, ambas inspiradas no painel “Civilização Mineira”. As atividades são gratuitas e não é necessário fazer inscrição (15 vagas por horário).

Nos dias 5, 6, 12, 13, 26 e 27 de agosto, será realizado o Ateliê Aberto: Recolorindo Portinari, das 10h às 12h, para crianças, e, das 14h às 18h, para adultos. As educadoras mostrarão como os matizes laranja e “azulzão” são marcantes na obra de Portinari e convidarão os participantes a fazer uma releitura do painel “Civilização Mineira” com duas cores que lhes sejam significativas. As pessoas poderão vivenciar o processo criativo de um artista, cujas composições são carregadas de afetividade, experiências e compreensão única do mundo que o cerca. Neste ateliê, todos devem usar roupas confortáveis e adequadas ao manuseio de tintas.

Já nos dias 15, 19 e 20 de agosto, o público poderá experimentar o Ateliê Aberto: Fotografando Portinari, realizando sessões de fotos tematizadas pelo painel, das 10h às 12h, para crianças; e, das 14h às 15h30, e das 16h às 17h30, para adultos. Os participantes aprenderão a usar a fotografia como caminho para fruição, registro e análise do patrimônio artístico, além de debater sobre conservação e preservação de acervos.

 

Serviço

Ateliê Aberto: Recolorindo Portinari
Datas: 5, 6, 12, 13, 26 e 27 de agosto
Horários: das 10 às 12h para crianças de até 12 anos; das 14h às 18h para maiores de 12 anos
Participação gratuita. Não é necessário fazer inscrição. Limite de 15 pessoas por horário. Crianças de até 10 anos devem estar acompanhadas por responsáveis e as menores de 5 anos precisam que os responsáveis as auxiliem nas atividades. Todos devem utilizar roupas adequadas ao manuseio de tintas.

 

Ateliê Aberto: Fotografando Portinari
Datas: 15, 19 e 20 de agosto
Horários: das 10h às 12h para crianças de até 12 anos; das 14h às 15h30 e das 16h às 17h30 para maiores de 12 anos
Participação gratuita. Não é necessário fazer inscrição. Limite de 15 pessoas por horário. Crianças de até 10 anos devem estar acompanhadas por responsáveis e as menores de 5 anos precisam que os responsáveis as auxiliem nas atividades.

Balklänning Robe De Mariée Robe De Mariée Balklänning