Como Chegar

Cidades e outras passagens – Caminhos de uma residência em arte digital

CIDADES E OUTRAS PASSAGENS NA CASA FIAT DE CULTURA – CAMINHOS DE UMA RESIDÊNCIA EM ARTE DIGITAL

 

Entre os dias 15 de maio e 10 de junho de 2018 jovens artistas participaram de uma Residência em Arte Digital na Casa Fiat de Cultura. Com características inovadoras, em um espaço próprio e gerando resultados surpreendentes, foram produzidos 7 obras de arte que estão expostas no Videowall e na Piccola Galleria.

Além dos artistas selecionados, fizeram parte do programa de residência colaboradores que são artistas membros do Laboratório de Poéticas Fronteiriças, grupo de pesquisa, desenvolvimento e inovação em arte, ciência e tecnologia da Universidade do Estado de Minas Gerais. Todos os processos criativos foram documentados e estão igualmente expostos ao lado das obras de arte na Piccola Galleria.

Ao expormos as obras, abrimos os seus processos ao público e à possibilidade de formação de um acervo na Casa Fiat de Cultura. Foi uma jornada colaborativa para os artistas e o público que pôde visitar o espaço da residência e interagir com os artistas durante todo o processo criativo. Na exposição vemos como as dinâmicas ocorreram, como os artistas dialogaram e as passagens geradas em interação com o painel “Civilização Mineira”, de Candido Portinari, e com a cidade de Belo Horizonte. Os caminhos da residência em arte digital estão abertos e plenamente revelados.

Além do que pode ser visto no Videowall do hall principal e na Piccola Galleria, há duas instalações que podem ser acessadas em:

 

 Escute o Painel “Civilização Mineira” no trabalho de

FABRÍCIO LINS | Mais do Mesmo | 2018 | Instalação sonora
 Realidade aumentada do Painel “Civilização Mineira”, de Candido Portinari , no trabalho de

AUGUSTO LARA e THIAGO AMOREIRA | Portinari aumentado | 2018 | Instalação interativa

 

CASA FIAT DE CULTURA REALIZA EXPOSIÇÃO DE OBRAS DE ARTE DIGITAL CRIADAS DURANTE RESIDÊNCIA ARTÍSTICA

 

Terminada a jornada colaborativa, os oito artistas selecionados apresentam obras digitais que conectam o painel “Civilização Mineira” de Portinari e a cidade de BH

 

Os artistas que antes ocupavam o espaço de criação da Residência Artística em Arte Digital da Casa Fiat de Cultura, agora vão ocupar a Piccola Galleria e o Videowall do hall principal para apresentar os processos e resultados da jornada colaborativa na exposição “Cidades e outras passagens na Casa Fiat de Cultura – Caminhos de uma residência em arte digital”. De 4 de julho a 5 de agosto, o público poderá conferir três instalações e quatro videoartes realizados durante três semanas de imersão em projetos que buscavam relacionar a cidade de Belo Horizonte ao painel de Candido Portinari “Civilização Mineira” (1959) – que retrata a mudança da capital mineira de Ouro Preto para Belo Horizonte em 1897 e o marco histórico que a Inconfidência Mineira de 1789 representou para o Estado –, acervo da Casa Fiat de Cultura em exposição permanente. A proposta era criar obras com foco na transformação da experiência do público visitante, inserindo-o em uma realidade híbrida: material e virtual. Os artistas da mostra são Alexandre Milagres, Augusto Lara, Fabrício Lins, Flávio CRO, Guilherme Xavier, Letícia Vianna, Mari Moraga e Thiago Amoreira e a curadoria é de Pablo Gobira, professor da Escola Guignard, pesquisador das relações entre arte, ciência e tecnologia e diretor do Laboratório de Poéticas Fronteiriças do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). A exposição da Residência Artística é resultado da parceria com a CASACOR, que projetou o espaço de criação dos artistas, e com o Isvor Fab Lab, que colaborou no desenvolvimento das obras digitais. A entrada é gratuita.

O título da exposição remete aos caminhos trilhados pelos artistas para falar dessas duas cidades, Ouro Preto e Belo Horizonte. Caminhos em sentido amplo: artísticos, técnicos, político-sociais e até geográficos. Os locais visitados se misturam entre o passado, na antiga capital mineira, e o presente, na cidade de BH, e se encontram no painel de Portinari.

O processo da Residência Artística teve concepção e coordenação do Programa Educativo da Casa Fiat de Cultura, com coordenação de Clarita Gonzaga e orientação de Taiane Costa, no qual a produção colaborativa foi uma metodologia essencial. A obra “De Portinari em Portinari BH”, por exemplo, era um projeto de Flávio CRO, mestre em Artes pela Escola Guignard, que ganhou nova configuração com a intervenção de Letícia Vianna, graduanda em Design na Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG), que assinou a co-autoria da obra. Juntos eles apresentam uma videoarte com o trajeto, feito de bicicleta, da Casa Fiat de Cultura em direção aos diversos “Portinaris” que existem na cidade de Belo Horizonte, não apenas outras pinturas, mas também estabelecimentos comerciais e até uma rua com o nome do artista. “A medida que convivemos com outros artistas, o projeto vai ganhando novas dimensões. A Letícia Vianna se tornou uma parte importante do meu projeto, pois me fez repensar a apropriação que eu estava fazendo do mapa da cidade. Costumo trabalhar com uma apropriação ‘nua e crua’, sem modificar as imagens, e ela agregou mais arte ao meu projeto na edição do vídeo: desenhou, recriou os percursos e utilizou as cores do painel de Portinari”, comenta Flávio CRO.

O artista Augusto Lara, bacharel em Cinema de Animação e Artes Digitais pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), concorda com o colega sobre a experiência na Residência Artística e reitera a produção colaborativa como um ponto positivo: “conheci artistas muito bons e isso permitiu uma troca de ideias sensacional, assim como a orientação de Pablo [curador] e sua equipe”. Outra questão apontada por ele foi a oportunidade proporcionada pela Residência: “é uma maneira de fomentar a cultura, dar visibilidade a novos artistas e expor em BH a produção artística local de arte digital, que ainda encontra pouco espaço. Para mim foi uma forma de reivindicar o espaço da cidade”, afirma. Augusto é responsável pela criação, junto a Thiago Amoreira, graduando em Artes Visuais na Escola de Belas Artes da UFMG, da obra “Portinari Aumentado”, uma instalação interativa de realidade aumentada do painel que permite ao público visualizá-lo em profundidade por meio de um aplicativo para dispositivos móveis. A obra foi realizada com a utilização de técnicas tridimensionais, pintura e colagem digital. Thiago também criou, junto a Fabrício Lins, graduando em Artes Plásticas pela Escola Guignard, outra instalação interativa, “Interface Preta”, que permite uma experiência sensorial, tátil e auditiva, do conceito de mudança e contraste do painel de Portinari, com elementos que remetem ora a Ouro Preto, ora a BH.

A coordenadora do Programa Educativo da Casa Fiat de Cultura, Clarita Gonzaga, explica que “já na seleção dos projetos, percebemos que as propostas escolhidas dialogavam entre si, o que ajudaria no processo colaborativo. Foi ótimo perceber que os artistas, quando chegaram aqui, abraçaram a ideia de um trabalho conjunto e também a de criar instrumentos de mediação. O contato com o público que visitou o espaço de criação da Residência Artística, principalmente turmas de crianças e jovens estudantes, contribuiu muito para essa preocupação e empenho em desenvolver obras de arte interativas. Os artistas cumpriram a proposta da Casa Fiat de Cultura de transformar a experiência dos visitantes”. O curador, Pablo Gobira, completa: “o grupo realmente se apropriou da proposta de construir obras que conectassem o painel Civilização Mineira à cidade de Belo Horizonte. Houve uma entrega muito sincera dos artistas em conhecer a obra e pensar possibilidades. Como resultado, obtivemos uma variedade conceitual, artística e técnica: foram produzidas obras em realidade aumentada, audiovisuais, experimentos realizados através de percursos de bicicleta que possibilitaram desenhar uma nova cartografia na cidade, trabalhos explorando o som da cidade em relação com o painel de Portinari, dentre outros”.

De acordo com o presidente da Casa Fiat de Cultura, José Eduardo de Lima Pereira, “nosso papel na formação de um público crítico e aberto a novas linguagens está sendo cumprido. A inovação e a experimentação propostas neste projeto permitem que o novo esteja lado a lado com a arte tradicional. Nesta Residência Artística, a arte digital se propõe a discutir o patrimônio e assim provoca reflexões sobre o passado, o presente e o futuro”.

A exposição “Cidades e outras passagens” da Residência Artística em Arte Digital é uma realização da Casa Fiat de Cultura, com patrocínio de Fiat Chrysler Automóveis (FCA), Banco Fidis, Fiat Chrysler Finanças, Fiat Chrysler Participações e Banco Safra, e apoio do Isvor, Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG), Casa Cor Minas, Multicult.

 

SERVIÇO

Exposição “Cidades e outras passagensna Casa Fiat de Cultura – Caminhos de uma residência em arte digital”

4 de julho a 5 de agosto de 2018

Terça a sexta, das 10h às 21h; sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h

Entrada gratuita

As obras

  • “De Portinari em Portinari BH”, de Flávio CRO e Letícia Vianna: vídeo que apresenta o trajeto, feito de bicicleta, da Casa Fiat de Cultura em direção aos diversos “Portinaris” que existem na cidade de BH, não apenas outras pinturas, mas também estabelecimentos comerciais e até uma rua com o nome do artista.
  • “Interface Preta”, de Thiago Amoreira e Fabrício Lins: instalação interativa que permite uma experiência sensorial, tátil e auditiva, do conceito de mudança e contraste do painel de Portinari, com elementos que remetem ora a Ouro Preto, ora a BH.
  • “Portinari Aumentado”, de Augusto Lara e Thiago Amoreira: instalação interativa de realidade aumentada do painel que permite ao público visualizá-lo em profundidade por meio de um aplicativo para dispositivos móveis. Foi realizada com a utilização de técnicas tridimensionais, pintura e colagem digital.
  • “Mais do mesmo”, de Fabrício Lins: instalação sonora criada a partir de registros sonoros da cidade de Ouro Preto no período da Inconfidência Mineira (1789) e de BH (2018) que sugerem a curiosa similaridade entre os dois espaços e épocas tão diferentes.
  • “Ponto em Pixel”, de Guilherme Xavier: animação 2D em pixel art que apresenta pontos não-turísticos de Belo Horizonte, mas que fazem parte do cotidiano dos moradores da cidade e que, dessa forma, contribuem de forma significativa para a identidade da capital mineira.
  • “Mineiras”, de Mari Moraga: vídeo que apresenta entrevistas com mulheres imigrantes em BH, tendo também a cidade como personagem, mostrando prédios representativos do glamour e progresso urbano em contraponto com espaços abandonados e deteriorados que também fazem parte da capital mineira.
  • “Extrações”, de Alexandre Milagres e Fabrício Lins: vídeo que une uma foto e os dados extraídos das redes sociais do artista e cria uma nova imagem dele reinserida em uma estética que remete a um mapa topográfico de uma cidade.

Curador Pablo Gobira

Pablo Gobira é curador e professor doutor do corpo permanente da Escola Guignard (UEMG, Brasil) e do Programa de Pós-Graduação em Artes (UEMG, Brasil). Escritor, editor e revisor de publicações diversas (livros, revistas, encartes, boletins, coletâneas e catálogos). Trabalha na curadoria, criação e produção no campo da cultura e das artes digitais, jogos digitais e economia criativa. Coordenador de Programa Institucional de Extensão da Universidade do Estado de Minas Gerais na área de Arte e Cultura (http://extensao.uemg.br/culturaearte/). Foi curador de diversos eventos, mostras e exposições, como a Bienal de Arte Digital (2017/2018 – http://bienalartedigital.com).

 

Os artistas

  • Alexandre Milagres (Belo Horizonte, MG): Mestre em Comunicação Social pela UFMG
  • Augusto Lara (Belo Horizonte, MG): Bacharel em Cinema de Animação e Artes Digitais pela UFMG
  • Fabrício Lins (Governador Valadares, MG): Graduando em Artes Plásticas pela Escola Guignard
  • Flávio CRO (Manhumirim, MG): Mestre em Artes pela Escola Guignard
  • Guilherme Xavier (Belo Horizonte, MG): Graduando em Design pela UEMG
  • Letícia Vianna (Belo Horizonte, MG): Graduanda em Design na Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG)
  • Mari Moraga (Pelotas, RS): Formada em Audiovisual pela Unisinos (RS)
  • Thiago Amoreira (Pitangui, MG): Graduando em Artes Visuais na Escola de Belas Artes da UFMG

RESIDÊNCIA ARTÍSTICA EM ARTE DIGITAL NA CASA FIAT DE CULTURA

Residência é o nome dado para morada e locais onde se reside. Já Residência Artística significa habitar um lugar onde será desenvolvido um novo processo de produção. É a arte em diálogo com o contexto em que está inserida. Uma interação com o ambiente e as pessoas deste lugar de onde emergirão novos conhecimentos e proposições.

De 15 de maio a 3 de junho, 8 artistas selecionados para este programa vão compartilhar com o público a evolução de seus projetos de arte digital, que serão posteriormente exibidos. Uma produção coletiva e colaborativa que surge de várias conexões.

Conexões no digital/material, entre a cultura, o design e o patrimônio, entre a tecnologia e as pessoas. A base será o painel “Civilização Mineira” (1959), de Portinari, que sairá das paredes da Casa Fiat de Cultura, interligando suas cores, linhas e inspirações à cena urbana de Belo Horizonte, em uma interface entre a materialidade/virtualidade. Um projeto pensado, desde seu início, a partir das colaborações. A primeira trouxe um nome referência para fazer a curadoria. Pablo Gobira, professor de pós-graduação em Artes na Escola Guignard (UEMG) que trouxe a visão da academia e da arte contemporânea como fonte inspiradora para ampliar e aprofundar as experiências artísticas.

A segunda é a CASACOR, que a partir de um olhar criativo transformou o ambiente da residência  em um espaço acolhedor e estimulante para a experiência dos artistas e do público dentro desta Casa de Cultura. Os arquitetos que se uniram a esta ideia de conexões criativas foram Paulo Augusto Campos e Sarah Floresta.

Esta produção coletiva se fez concreta com os selecionados para esta imersão na forma de Residência Artística. São aqueles que aceitaram o desafio de uma jornada transdisciplinar de experimentação colaborativa para repensar o espaço museológico, no ciberespaço.

Para pensar novas possibilidades tecnológicas e materializar as ideias propostas dentro do conceito entra o Fab Lab do Isvor (Universidade Corporativa da FCA-Fiat Chrysler Automóveis). Um lugar que valoriza o empoderamento dos participantes e se torna espaço de desenvolvimento de competências para a inovação, colaboração e liderança.

O ciclo se completa com o público que, nesta proposta, está inserido na reflexão sobre o museu no mundo contemporâneo. Este projeto integra a 16ª Semana de Museus que tem como tema Museus Hiperconectados. Acreditamos que esta nova perspectiva de realidade mista, onde se somam acervos materiais, a vida na cidade, história e linguagens digitais é uma das formas de expandir o conceito de museu como lugar da contemplação para se tornar lugar de conexão, de novas experiências, transmutando o público de espectador a interlocutor e transformador do próprio espaço.

CASA FIAT DE CULTURA

Conselho Deliberativo

Antonio Filosa

Emanuele Cappellano

Márcio de Lima Leite

 

 

Diretoria

Diretor Presidente

José Eduardo de Lima Pereira

 

Diretores

Márcia Naves

Leandro Godinho

Lucas Fernandes

 

Gestora de Cultura

Ana Vilela

 

Administrativo Financeiro

Camila Lessa

 

Produção de Conteúdo e Redes Sociais

Bia Starling

 

Estagiários

Julieni Fonseca

Vinicius Prado

 

Empresas Mantenedoras

FCA Fiat Chrysler Automóveis Brasil Ltda

FCA Fiat Chrysler Participações Brasil Ltda

FCA Fiat Chrysler Finanças Brasil Ltda

Magneti Marelli do Brasil Indústria e Comércio Ltda

Banco Fidis S.A.

Teksid do Brasil Ltda

FCA Fiat Chrysler Rimaco Brasil Corretagens de Seguros Ltda

CNHI Latin America Ltda

 

RESIDÊNCIA ARTÍSTICA

 

Realização

Casa Fiat de Cultura

Ministério da Cultura

 

Concepção e Coordenação

Programa Educativo da Casa Fiat de Cultura

Coordenação

Clarita Gonzaga

Orientação

Taiane Costa

 

 

Mediação

Ana Carolina Ministério

Flávia Salvador

Naíra Duarte

 

Curadoria

Pablo Gobira

 

Assistente de Curadoria

Froiid

 

Artistas Colaboradores

Antônio Mozelli,

Emanuelle Silva

Isabela Cesário

Luis Roberto Napoli

 

Participantes

Alexandre Milagres

Augusto Henrique Lara Alves de Paula

Fabrício Bastos Pereira Lins

Flávio CRO

Guilherme Henrique Xavier do Nascimento e Souza

Letícia Vianna

Mari Moraga

Thiago Moreira Faria

 

Produção Casa Fiat de Cultura

Coordenação

Fátima Guerra

Produtores

Bernardo Oliveira

Tábata Nocchi

 

ESPAÇO DE CRIAÇÃO

Parceria 

Casa Cor Minas Gerais

 

Equipe Casa Cor

Eduardo Faleiro

Juliana Grillo

Junia Nocchi

Luisa Jordá

Délia Jaime

Gustavo Drummond

 

Realização

Multi Cult

 

Projeto Expográfico

Balsa Arquitetura

Paulo Augusto Campos

Sarah Floresta

 

Montagem

Benjamin Ramos

Marcelo Santana

Clóvis Araújo

Diogo Ferreira

 

Parceiros

Innere Espaço Corporativo

Sumisura

Khaya Woods

Onna Móveis

P2P

Marie Camille

Zoé Atelier

Floresça Café

Coral

Varejão das tintas

Templuz

A Fabriqueta

 

Assessoria de Imprensa e

Relações Públicas

Personal Press

Polliane Eliziário

Júlia Pelinson

Raquel Braga

 

AGRADECIMENTOS

Arthur Mendes

Bonifácio Lemos Filho

Carolina Marini

Cristovão Mendes

Deiglesson Cirilo

Diego de Paula

Gabrielly Ribeiro Tavares

Fab Lab – Isvor

Jefferson Andrade

Karlo Araújo

Labfront

Liliana Jayme

Luciana Lopes

Márcio Jannuzzi

Mariana Cordeiro

Mateus Silveira

Patrick Júnior

Pablo Coelho

Rafael Soares

Rodrigo Silva

barradelogos___Prancheta 1

Balklänning Robe De Mariée Robe De Mariée Balklänning