Como Chegar

DE CHIRICO – O Sentimento da Arquitetura

Sobre

Venha conhecer a mais expressiva coleção de obras já exposta no Brasil do artista greco-italiano Giorgio de Chirico (1888-1978). São mais de 120 obras, entre esculturas, pinturas e litografias provenientes da Fondazione Giorgio e Isa de Chirico, de Roma.

A exposição revela de forma criativa e inquietante as cidades imaginárias e os enigmas do homem moderno, produzidos por de Chirico, precursor do surrealismo e um dos grandes mestres da arte metafísica.

O agendamento de visitas orientadas para grupos e assessoria educativa podem ser feitos pelo telefone (31) 3289-8911 e e-mail agendamento2@casafiat.com.br

Informações

Exposição: De Chirico – O Sentimento da Arquitetura
Período: 29 de maio a 29 de julho
Local: Casa Fiat de Cultura – Rua Jornalista Djalma de Andrade 1.250
Belvedere/Belo Horizonte/Minas Gerais
Horários: Terça a sexta, das 10h às 21h;
Sábado, domingo e feriado, das 14h às 21h
Informações: (31) 3289-8900
www.casafiatdecultura.com.br
Agendamento: (31) 3289-8911
agendamento2@casafiat.com.br
TRANSPORTE E ENTRADA GRATUITOS

Horários Transporte*:

Praça da Liberdade/Casa Fiat de Cultura
De terças às sextas-feiras
9h30, 12h, 13h30, 15h, 16h30, 18h e 19h30
Sábados, domingos e feriados
13h30, 15h, 16h30, 18h e 19h30

Casa Fiat/Praça da Liberdade
De terças às sextas-feiras
10h15, 12h45, 14h15, 15h45, 17h15, 18h45 e 21h
Sábados, domingos e feriados
14h15, 15h45, 17h15, 18h45 e 21h

*Transporte sujeito à lotação de 15 passageiros

Agendamento de grupos

Idade permitida a partir de 7 anos.

Grupos com idade entre 7 a 12 anos o agendamento será permitido desde que o grupo esteja acompanhado de 1 adulto responsável a cada 10 crianças.

Grupos com idade superior a 12 anos o agendamento será permitido desde que o grupo esteja acompanhado de 1 adulto responsável a cada 20 pessoas.

Visitas de grupos não agendados

Grupos com idade inferior a 7 anos será permitida a entrada desde que o grupo esteja acompanhado de 1 adulto responsável a cada 5 crianças, respeitando o critério da fila para entrada na galeria.

Grupos com idade entre 7 e 12 anos será permitida a entrada desde que o grupo esteja acompanhado de 1 adulto responsável a cada 10 crianças, respeitando o critério da fila para entrada na galeria.

Grupos com idade entre 12 e 15 anos será permitida a entrada desde que o grupo esteja acompanhado de 1 adulto responsável a cada 10 jovens, respeitando o critério da fila para entrada na galeria.

Grupos com idade acima de 15 anos será permitida a entrada desde que o grupo esteja acompanhado de 1 adulto responsável a cada 20 pessoas, respeitando o critério da fila para entrada na galeria.

Visitas avulsas

Crianças com idade até 7 anos deverão ser conduzidas pelos pais ou responsáveis durante todo o percurso da visita.

Apresentação

A Casa Fiat de Cultura cumpre, com a realização da exposição De Chirico: O Sentimento da Arquitetura – obras da Fondazione Giorgio e Isa de Chirico, o prosseguimento de sua ação de divulgar os grandes momentos da história da arte mundial.

A relação de de Chirico com a arquitetura, escolhida como tema pela curadora, é apresentada em período especialmente propício, quando os vínculos preciosos entre duas culturas irmãs são celebrados no âmbito Momento Itália-Brasil.

Porto Alegre, Belo Horizonte e São Paulo, respectivamente com a Fundação Iberê Camargo, a Casa Fiat de Cultura e o Museu de Arte de São Paulo Assis Chateubriand – MASP são contemplados com esta mostra, reafirmando a já consolidada parceria entre as três instituições. Que este trabalho seja apenas mais um nessa caminhada conjunta, é o que desejamos.
José Eduardo de Lima Pereira
Presidente da Casa Fiat de Cultura

Palestras

Programação

12/06 – 19h30
Palestra: Cidade e Modernismo
Palestrante: Marcos Hill – Professor da Escola de Belas Artes da UFMG.
Sinopse: Quando a proposta é pensar a relação entre cidade e modernismo, imediatamente muitas referências surgem, em uma dinâmica motivada pelo processo de industrialização ocorrido no mundo, ao longo do século XIX. Das fileiras dos preocupados, surgiram artistas, poetas e outros propositores, protagonistas do que hoje conhecemos como modernismo. Todos fruidores inquietos, visionários utópicos e questionadores insatisfeitos de uma cidade que acolhia seus sonhos, devorando suas esperanças.

27/06 – 19h30
Palestra: A cidade na arte contemporânea em diálogo com De Chirico
Palestrante: Renata Marquez – Pesquisadora e curadora do Museu de Arte da Pampulha
Sinopse: A cidade é entendida pela arte atual como plataforma para uma experiência-pensamento capaz de desmaterializar a suposta solidez arquitetônica e de deslocar os lugares planejados repolitizando a ação artística. Aproximações contemporâneas da arqueologia urbana com o objet trouvé surrealista: o que poderíamos encontrar – ou antes: o que gostaríamos de buscar na cidade?

11/07 –19h30
Mesa redonda
Participantes: Fabíola Tasca, Brígida Campbell e Rodrigo Freitas.
Mediadora: Rachel de Sousa Vianna
Sinopse: Nesse quarto e último encontro, as questões tratadas nas palestras anteriores serão retomadas a partir da perspectiva de três artistas que vivem e trabalham em Belo Horizonte e que têm a cidade como referência principal de sua produção. Assim, a proposta é encerrar a programação com uma discussão sobre como Belo Horizonte tem servido como tema e espaço da arte contemporânea.
Fabíola Tasca – Artista plástica, professora e pesquisadora
Brígida Campbell – Professora do Curso de Artes Visuais da Escola de Belas Artes da UFMG.
Rodrigo Freitas – Mestre em artes visuais pela Universidade Federal de Minas Gerais.

As pessoas com deficiência auditiva que queiram participar das palestras deverão fazer inscrição com 24 horas de antecedência, para que seja disponibilizado o atendimento em Libras.

Educativo

Para Giorgio de Chirico, somente raros indivíduos são capazes de ver o aspecto fantasmagórico e metafísico presente em todas as coisas. Ao desenvolver atividades e materiais para públicos de diferentes idades, experiências e interesses, o Programa Educativo da exposição se inspirou no desafio de ver para além do aspecto habitual e comum. Assim, nosso propósito é contribuir para que o visitante possa perceber, cada um à sua maneira, como Giorgio de Chirico traduziu em suas pinturas, gravuras e esculturas a dimensão oculta da arquitetura, da cidade e dos objetos do cotidiano.

Para tanto, a proposta é fornecer referências para ajudar o visitante a situar as obras não somente em relação ao seu contexto de produção, mas dentro de uma tradição histórica mais ampla. Como a arquitetura e a cidade foram retratadas por artistas de diferentes períodos? Quais recursos técnicos e plásticos sustentaram essas representações? O que a obra de Giorgio de Chirico tem de singular, de original? Que sentido fazem essas figuras, objetos, praças e cidades para nós, habitantes do século XXI? Essas, entre outras, são as questões que gostaríamos de discutir com o visitante.

Várias atividades serão oferecidas ao longo da exposição, também acessíveis às pessoas com deficência: visitas orientadas para grupos agendados e público espontâneo, oficinas, ciclo de palestras, ciclo de cinema e assessoria ao professor.
Confira a programação a seguir e venha participar!
Rachel de Sousa Vianna

Durante a semana, os visitantes podem contar com o apoio da equipe de educadores para trocar ideias e responder a dúvidas. Nos fins de semana, uma programação especial espera o público espontâneo, com visitas para famílias e amigos, além de oficinas. Os ciclos de palestras e de filmes no auditório da Casa Fiat de Cultura são uma ótima oportunidade para conhecer mais sobre a exposição e a relação entre arte, arquitetura e a cidade. Veja, a seguir, os materiais, as datas e os horários das atividades.

• Visita para famílias e amigos: um ótimo programa para quem vem visitar a exposição, acompanhado ou sozinho, e quer trocar ideias sobre as obras com a equipe de educadores e com outros visitantes. Acontece todos os fins de semana e tem 1h00 de duração. Não é necessário fazer reserva, basta procurar o Balcão do Educativo localizado na entrada das exposições.

• As cidades de Giorgio de Chirico: esse folder contém sugestões de atividades para quem quer explorar as técnicas e os artifícios que Giorgio de Chirico usou para capturar o aspecto metafísico de suas cidades. O arquivo foi pensado para facilitar a impressão: são três páginas tamanho ofício, frente e verso. Para quem quiser saber mais sobre essas técnicas, recomendamos participar da Oficina de Perspectiva (mais informações a seguir).

• Oficina de Perspectiva: a proposta é explorar noções básicas de perspectiva através de atividades experimentais e lúdicas. Essa introdução ao conceito de perspectiva pode proporcionar um novo olhar para a obra de Giorgio de Chirico, como também pode abrir as portas para uma compreensão mais profunda da representação da arquitetura e da cidade na arte ocidental. A oficina acontece aos sábados, domingos e feriados, das 15h às 16h30 e das 17h às 18h30. Para adultos e crianças acima de 10 anos de idade.

Clique para visualizar:

Informações

Apresentação

Núcleos

Balklänning Robe De Mariée Robe De Mariée Balklänning