Como Chegar

Conversas sobre Perguntas – 2ª Edição

Conversas sobre Perguntas – 2ª Edição

 

CASA FIAT DE CULTURA, MEMORIAL MINAS GERAIS VALE E MM GERDAU – MUSEU DAS MINAS E DO METAL APRESENTAM 2ª EDIÇÃO DO WEBINÁRIO “CONVERSAS SOBRE PERGUNTAS” 

Evento reúne grandes nomes para debater temas atuais e interpretar as palavras que permeiam o presente contínuo 

Em tempos de redução necessária ao ir e vir, o que mais nos movimentou foram as palavras. Manifestas nos encontros, nos textos, nos discursos, nos desejos, nas modificações indispensáveis ao presente, elas atravessaram nossos corpos, nos conduziram ao conhecimento e se tornaram presentes – na ambiguidade do que é estar e ser presente. Nesse sentido, a edição 2021 do webinário “Conversas sobre perguntas” convida os participantes a seguirem e não se interromperem. O evento foi criado ano passado e é promovido e financiado, em curadoria colaborativa, pelos equipamentos culturais Casa Fiat de Cultura, Memorial Minas Gerais Vale e MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal, integrantes do Circuito Liberdade.  Os encontros online serão mediados pela jornalista Daniella Zupo, de 21 a 23 de setembro, sempre às 19h. Todos os encontros são gratuitos, contam com  tradução em Libras e transmissão ao vivo nos canais do YouTube dos equipamentos culturais que realizam o evento. O webinário integra a programação da 15ª Primavera dos Museus.

Ao longo dos últimos meses, fomos falas incessantes na busca de compreensão de nosso tempo. Usamos a língua e a linguagem – oralizada, corporal e escrita – para seguirmos ouvintes do mundo e leitores da vida. Enquanto a primeira edição do “Conversas sobre Perguntas” abordou questões filosóficas, existenciais e científicas que afligiam o mundo com projeções para o futuro, em 2021, a iniciativa propõe a interpretação de um presente contínuo, tendo a “palavra” como fio-condutor. Serão realizados três encontros: palavra-corpo, no YouTube da Casa Fiat de Cultura, com a bailarina Ana Botafogo; palavra-conhecimento, com transmissão no canal do MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal, com a historiadora e antropóloga Lilia Schwarcz; e palavra-presente, com o poeta e compositor Antonio Cicero, no canal do Memorial Minas Gerais Vale, no YouTube.

Ana Vilela, gestora cultural da Casa Fiat de Cultura, destaca o formato inovador do projeto. “A construção desse novo espaço para conversas integra, de forma colaborativa e criativa, times de três diferentes instituições culturais que buscam formatos de produção conjunta para agregar diferentes visões. Essa segunda edição demonstra o sucesso desse modelo e vai trazer ao público as diversas dimensões da palavra e os questionamentos que conduziram nosso pensamento ao longo dos últimos meses”, analisa.

Para Márcia Guimarães, gestora do MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal, o encontro Conversas sobre Perguntas vai se consolidando como oportunidade de conexão com os demais equipamentos que compõem o Circuito Liberdade e mais ainda, a possibilidade de reflexão conjunta. “Ao longo dos diálogos para a construção de uma linha curatorial temos a oportunidade de formular perguntas que também dizem sobre a gestão dos espaços. O que, inicialmente, parece estar em cada estrutura, no íntimo de suas vocações, no dia a dia de suas realizações, se apresenta, na essência, como parte do que podemos e queremos realizar: conversas e perguntas conjuntas”, ressalta.

Segundo Wagner Tameirão, gestor do Memorial Minas Gerais Vale, o webinário é a continuidade de uma ação de reflexão do momento atual. “Em um mundo contemporâneo sem respostas, refletir, lançar perguntas e convidar o público a pensar é um processo rico e necessário. É gratificante realizar uma ação coletiva com parceiros como a Casa Fiat e o Museu das Minas e do Metal, com o objetivo de potencializar resultados e criar coletivamente. Fazer junto é também um processo de perguntar e provocar o pensar que, neste ano, tem a ‘palavra’ como fio condutor”.

O webinário “Conversas sobre perguntas” é uma realização conjunta da Casa Fiat de Cultura, do Memorial Minas Gerais Vale e do MM Gerdau – Museu das Minas e Metal, com patrocínio de Fiat, do Banco Safra, da Vale e da Gerdau. Conta com o apoio da Expresso Nepomuceno, da Sada, do Banco Fidis, do MartMinas, do Amigos da Casa Fiat de Cultura, da Brose do Brasil, da Brembo, e da  CBMM, além de apoio institucional do Circuito Liberdade, do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico (Iepha), do Governo de Minas e do Governo Federal.

Programação

 

Dia 21 de setembro, terça-feira, às 19h – Transmissão YouTube Casa Fiat de Cultura

https://bit.ly/PalavraCorpo

Conversas sobre perguntas com a bailarina Ana Botafogo

Palavra-corpo

Os pensamentos, ideias e palavras são expressos, majoritariamente, pelos movimentos do corpo. Os pés são o ponto de contato com a Terra, enquanto a boca manifesta nossos desejos, filosofias e questionamentos. A dança, manifestação artística do corpo, reúne gestos, sinuosidades, expressões e diferentes linguagens para fazer ver uma nova relação entre as pessoas e seu lugar no mundo.

Por meio de sua vivência no universo da dança, a bailarina Ana Botafogo convida o público a refletir sobre as diversas linguagens do corpo e como os novos modelos de relação – alterados pelo confinamento e pelo uso constante de telas – impactam nossas expressões, movimentos e a própria consciência corporal.

Em que direção caminha a palavra-corpo? Como a “leveza da dança” pode transcender o tempo e o espaço? De que forma os gestos flexíveis podem nos ensinar sobre adaptação aos novos tempos? Como os conceitos clássicos de movimento encontram espaço nas manifestações contemporâneas e nos ajudam a entender nosso lugar no tempo presente?

Ana Botafogo buscará responder sobre como valorizar o corpo, a vida que ele carrega, e continuar a entendê-lo como meio de manifestações, expressividade e relacionamento dos indivíduos com o mundo.

 

Dia 22 de setembro, quarta-feira, às 19h – Transmissão YouTube MM Gerdau 

https://bit.ly/PalavraConhecimento

Conversas sobre perguntas com a historiadora e antropóloga Lilia Schwarcz

Palavra-conhecimento

A historiadora Lilia Schwarcz usa a compreensão das diversas dimensões da palavra para entrelaçar mundos. Ela nos convida a compreender melhor as palavras, sejam elas políticas, sejam imagéticas ou poéticas, como também a deixarmos apenas de enxergar e a passarmos a ver – ver, principalmente – a possibilidade de um mundo plural. 

Lilia tem em Lima Barreto, jornalista e escritor – conhecido por muitos de nós ainda na adolescência, devido a como O homem que sabia javanês ou Triste fim de Policarpo Quaresma –, um amplo campo de estudos. Sobre o autor, Lilia diz: “Lima Barreto fazia uma literatura em movimento”. E, como historiadora, nos faz lembrar que o movimento cria perguntas novas para as histórias contadas.

Em um mundo em movimento, e tensionado pelos desafios de outras maneiras de ver, nossa principal pergunta para Lilia é: as rupturas que temos vivido são também rupturas sobre o conhecimento?

 

Dia 23 de setembro, quinta-feira, às 19h – Transmissão YouTube Memorial Minas Gerais Vale 

https://bit.ly/PalavraPresente

Conversas sobre perguntas com o poeta e compositor Antonio Cicero

Palavra-presente 

A palavra-presente encerra o nosso encontro de 2021 para o Conversas sobre Perguntas. Ela vem para nos direcionar ao presente, ao olhar para o agora e para todas as perguntas necessárias à existência – hoje, não mais amanhã, com toda a urgência do agora! Ela vem também como um presente, em forma de poesia e música, e nos leva a lugares de produção de vida. Palavra-presente e palavra-poesia amplificam nossa possibilidade de estar no mundo. No mundo presente. 

Antonio Cicero, poeta e letrista, nos presenteia com a musicalidade e a dança das palavras. Com o sensível que urge ao nosso bem-viver. Poesia. A pergunta que fica, no encontro de pessoas e palavras é: no mundo de corpos paralisados e palavras aceleradas, qual é a medida do tempo da vida?

Os Convidados

 

Ana Botafogo

Considerada pelo público e pela crítica uma das mais importantes bailarinas brasileiras de todos os tempos, Ana Botafogo é Primeira Bailarina do Ballet do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Iniciou sua carreira profissional na França, no Ballet de Marseille, de Roland Petit. Já participou de Festivais em Lausanne, Veneza, Havana, e na Gala Iberoamericana de La Danza, representando o Brasil em Madri. Apresentou-se, ainda, em vários países da Europa e das Américas do Norte, Central e do Sul. Foi bailarina principal do Teatro Guaíra e da Associação de Ballet do Rio de Janeiro. Em 1981, ingressou no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, já como Primeira Bailarina, cargo em que permanece até hoje. Entre seus muitos títulos, destacam-se o de Embaixadora da Cidade do Rio de Janeiro, o de Benemérito do Estado do Rio de Janeiro, Chevalier dans L’Ordre des Arts et des Lettres (Ministério da Cultura da França), o Troféu Mambembe-1998, a Ordem do Mérito Cultural (Ministério da Cultura-Brasil), na classe de “Comendador”, e a Medalha Pedro Ernesto. Apresentou-se em quase todo o Brasil com o Ballet do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, além de outras companhias e academias de Ballet. Também levou, a diversas capitais brasileiras, os espetáculos “Ana Botafogo In Concert”, “Três Momentos do Amor”, “Suíte Floral”, e “Isto é Brasil”, este em companhia de Carlinhos de Jesus. Em 2011, comemorou 35 anos de carreira, com o espetáculo Marguerite e Armand. A divulgação e a popularização da dança é uma preocupação constante de Ana Botafogo, que leva sua arte para os diversos cantos do Brasil.

 

Lilia Schwarcz

Lilia Moritz Schwarcz é professora sênior do Departamento de Antropologia da USP e Global Scholar desde 2008, em Princeton. Publicou vários livros, como  Retrato em branco e negro (1987), Espetáculo das raças (1993), As Barbas do Imperador (1998), A longa viagem da biblioteca dos reis (2002), O sol do Brasil (2008), Brasil uma biografia (com Heloisa Starling, 2015), Um enigma chamado Brasil (com André Botelho), Dicionário da escravidão e da Liberdade (com Flavio Gomes, 2018); Lima Barreto, triste visionário (2018),  Sobre o autoritarismo no Brasil (2019), Bailarina da morte: a gripe espanhola de 1918 (2020), Enciclopédia Negra (com Flávio Gomes e Jaime Lauriano, 2021). Recebeu vários prêmios literários, como o Jabuti (7 vezes), o prêmio APCA (3 vezes), o prêmio Biblioteca Nacional e o prêmio da Anpocs de livro do ano, em 2019. Foi curadora de algumas exposições, como “A longa viagem da biblioteca dos reis” (2006), “Nicolas-Antoine Taunay: uma tradução francesa dos trópicos” (2008), “Uma história do Brasil” (com Boris Kossoy, 2013, São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Curitiba, Belo Horizonte), “Histórias mestiças” (com Adriano Pedrosa, 2014, São Paulo), Histórias da infância (2016, São Paulo), Histórias da sexualidade (2017, São Paulo), “Histórias afro-atlânticas com Adriano Pedrosa, Ayrson Hieráclito, Helio Menezes e Tomás Toledo” (2018, São Paulo), “Histórias das Mulheres” (2019, São Paulo), “Enciclopédia Negra” (2021). Teve bolsas da Guggenheim Foundation (2006/ 2007) e da John Carter Brown Library (2007). Recebeu Prêmio Humboldt (2021). Foi Professora Visitante nas universidades de Oxford, Leiden, Ècole, Brown, Tinker e Columbia. Recebeu a Comenda do Mérito Científico em 2010, e é membro do American Comitê do Humans Right Watch e do Editorial Committe for Latin America da CECLA. É colunista do jornal Nexo desde 2016 e, desde 2015, é curadora adjunta para histórias do MASP. 

 

Antonio Cicero

Antonio Cicero é escritor, poeta e filósofo, além de autor dos livros de poemas Guardar (1996), contemplado com o “Prêmio Nestlé de Literatura”, A cidade e os livros (2002) e Porventura (2012), que recebeu o Prêmio ABL de Poesia, o Prêmio Jabuti de Poesia, e foi finalista do Prêmio Telecom de Literatura. É, também, autor dos livros de ensaios filosóficos O mundo desde o fim (1995), Finalidades sem fim (2005), finalista do Prêmio Jabuti, e Poesia e filosofia (2012). Organizou, ainda, o livro de ensaios Forma e sentido contemporâneo: poesia (2012), e, em parceria com o poeta Waly Salomão, o volume de ensaios O relativismo enquanto visão do mundo (1994). Com Eucanaã Ferraz, organizou a Nova antologia poética de Vinicius de Moraes (2003). É autor de inúmeras letras de canções, e tem como parceiros, entre outros, compositores como Marina Lima, Adriana Calcanhotto e João Bosco. Em 2012, foi agraciado com o “Prêmio Alceu Amoroso Lima – Poesia e Liberdade”. 

A Mediadora

 

Daniella Zupo

Jornalista, escritora e documentarista. Com mais de 20 anos de experiência nas redações, trabalhou como repórter, correspondente internacional e editora e apresentadora de TV e rádio, já tendo entrevistado as principais personalidades culturais do país. É diretora e roteirista da premiada webserie documental “Amanhã Hoje é Ontem”, selecionada para o RioWebFest como uma das melhores webseries brasileiras de 2016. O livro Amanhã Hoje é Ontem, que abriu a programação oficial da Fliaraxá 2017, recebeu menção honrosa da Comissão de Cultura da Assembleia Legislativa de Minas Gerais e marca sua estreia na literatura. Atualmente, é comentarista da rádio Itatiaia e colaboradora da revista Pasmas!. Desde 2019, é integrante da Academia Novalimense de Letras. Comanda, em suas redes sociais, os programas “Meus discos, meus livros e nada mais” e “Friday Night Live”, programa semanal de entrevistas com convidados de diversas áreas da cultura e do comportamento.        

Idealizadores

 

Casa Fiat de Cultura

A Casa Fiat de Cultura cumpre importante papel na transformação do cenário cultural brasileiro, ao realizar as mais prestigiadas exposições. A programação estimula a reflexão e interação do público com várias linguagens e movimentos artísticos, desde a arte clássica até a arte digital e contemporânea. Por meio do Programa Educativo, a instituição articula ações para ampliar a acessibilidade às exposições, desenvolvendo réplicas de obras de arte em 3D, materiais em braile e atendimento em libras.

Mais de 60 mostras de consagrados artistas brasileiros e internacionais já foram expostas na Casa Fiat de Cultura, entre os quais Caravaggio, Rodin, Chagall, Tarsila, Portinari entre outros. Há 15 anos, o espaço apresenta uma programação diversificada, com música, palestras, residência artística, além do Ateliê Aberto – espaço de experimentação artística – e de programas de visitas com abordagem voltada para a valorização do patrimônio cultural e artístico.

A Casa Fiat de Cultura é situada no histórico edifício do Palácio dos Despachos e apresenta, em caráter permanente, o painel de Portinari, Civilização Mineira, de 1959. O espaço integra um dos mais expressivos corredores culturais do país, o Circuito Liberdade, em Belo Horizonte. Mais de 3 milhões de pessoas já visitaram suas exposições e 560 mil participaram de suas atividades educativas.

 

Memorial Minas Gerais Vale

O Memorial Minas Gerais Vale, sob a gestão do Instituto Cultural Vale, apresenta a história, a cultura e as tradições de Minas em espaços interativos e surpreendentes. Foi desenvolvido a partir do conceito de “museu de experiência”, com exposições que utilizam arte e tecnologia de forma intensa e criativa, proporcionando a interação do público com o seu conteúdo.

Mais que um espaço dedicado às tradições, origens e construções da cultura mineira, o Memorial Minas Gerais Vale é um lugar de trânsito e cruzamento entre a potência da história e as pulsações contemporâneas da arte e da cultura. Um lugar onde o presente e o passado estão em contato direto, em permanente renovação.

 

MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal

O MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal, integrante do Circuito Liberdade desde 2010, é um museu de ciência e tecnologia que apresenta de forma lúdica e interativa a história da mineração e da metalurgia. Em 20 áreas expositivas, estão 44 exposições que apresentam, por meio de personagens históricos e fictícios, os minérios, os minerais e a diversidade do universo da Geociências. O Prédio Rosa da Praça da Liberdade, sede do Museu, foi inaugurado em 1897, juntamente com Belo Horizonte. Tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (IEPHA), o edifício passou por meticuloso trabalho de restauro, que constatou que a decoração interna seguiu o gosto afrancesado da época, com vocabulário neoclássico e art nouveau. O projeto arquitetônico para a nova finalidade do Prédio Rosa, que já foi Secretaria do Interior e da Educação, foi feito por Paulo Mendes da Rocha e a expografia, que usa a tecnologia como aliada da memória e da experiência, foi de Marcello Dantas. 

Serviço

 

Webinário “Conversas sobre Perguntas”
De 21 a 23 de setembro de 2021, no YouTube dos espaços culturais
Idealização: Casa Fiat de Cultura, Memorial Minas Gerais Vale e MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal

Toda a programação é gratuita 

 

Dias e convidados

Dia 21 de setembro – a bailarina Ana Botafogo – YouTube da Casa Fiat de Cultura

Dia 22 de setembro – a historiadora Lilia Schwarcz YouTube do MM Gerdau

Dia 23 de setembro – o poeta e compositor Antonio Cicero – YouTube do Memorial Minas Gerais Vale

 

Mais informações: nas redes sociais dos três espaços culturais

 

Informações para a Imprensa: 

Assessoria do Webinário “Conversas sobre Perguntas”

Personal Press

Polliane Eliziário – polliane.eliziario@personalpress.jor.br – (31) 99788-3029

Balklänning Robe De Mariée Robe De Mariée Balklänning