Como Chegar

Desolação

Desolação

 

CASA FIAT DE CULTURA PROPÕE REFLEXÕES SOBRE AS ANGÚSTIAS DA HUMANIDADE NA MOSTRA “DESOLAÇÃO”

A exposição, do artista plástico Mateus Moreira, apresenta pinturas carregadas de sentimentos, que questionam as violências, realidades e temores da sociedade

Em meio a um bombardeio incessante de imagens e notícias, a vivência no mundo contemporâneo se mostra conflituosa. Dúvida e caos sobem ao palco. Como dar vazão a esses sentimentos angustiantes? Como resistir às opressões cotidianas? Para o artista plástico Mateus Moreira, as respostas se manifestam em tinta. Na exposição “Desolação”, situações que carregam significados ambíguos na memória humana e na própria existência do artista tomam forma em 15 pinturas a óleo. Nelas, o aspecto de cada pincelada convida à atmosfera inebriante das manchas, trazendo uma feroz analogia à realidade. A mostra, escolhida no 4º Programa de Seleção da Piccola Galleria, fica em cartaz de 5 de outubro a 28 de novembro e poderá ser visitada virtualmente, pelo site e redes sociais. Além do tour virtual 3D, serão oferecidas vistas virtuais mediadas. Para abrir a exposição, a Casa Fiat de Cultura realiza um bate-papo online ao vivo com o artista, no dia 5 de outubro, às 19h. A participação é gratuita, com inscrição pela Sympla.

A mostra apresenta imagens de um mundo estremecido. A fronteira entre sonho e realidade é abolida, misturando o onírico e o existencial, em espaços abertos e de grande tensão, sugerindo a ideia de que tudo acontece ao mesmo tempo. O artista busca reagir ao fulgor distópico atrelado ao convívio em sociedade, em uma tentativa de resistência ao sentimento de violenta opressão que maquina sobre as pessoas. As 15 pinturas despertam um sentimento em comum: o de desolação. Daí, o nome da exposição, que, embora não seja vinculada a um acontecimento especial, evoca a força interna dos fatos, por meio de composições imaginadas e reais. “A pintura é um lugar em que posso expressar meus sentimentos em relação às atuais condições sociais, políticas e afetivas, em uma realidade em que a esperança é duvidosa”, reflete Mateus Moreira.

Com referências artísticas como os pintores Claude Monet – que desbravou o universo da luz e da paisagem – e Alberto Giacometti – que teve a coragem e a persistência de migrar sua obra do surrealismo para o expressionismo –, Mateus Moreira expressa em tinta a sua percepção sobre fragmentos de vivências e do cotidiano. Sua pintura nasce abraçando a intuição, por meio de gestos rápidos e misturas fluidas. A cor surge da primeira tinta que suja o pincel na paleta. O tom predominante e a luz determinam a construção dos acontecimentos, em formas pictóricas que, ao final, resultam na obra singular do artista. “O processo de experimentação é constante e a despretensão é intrínseca. Quando o acúmulo de cores e matéria me intuem a parar, me distancio desse delírio”, explica.

A exposição “Desolação” é uma realização da Casa Fiat de Cultura, com apoio do Ministério do Turismo, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, patrocínio da Fiat, do Banco Safra e da Gerdau, copatrocínio da Expresso Nepomuceno, da Sada, do Banco Fidis e do Mart Minas. A mostra tem apoio institucional do Circuito Liberdade, do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico (Iepha), do Governo de Minas e do Governo Federal, além do apoio cultural do Programa Amigos da Casa, da Brose do Brasil e da Brembo.

Texto curatorial

 

por Mateus Moreira

O conjunto de obras intitulado “Desolação” tenciona flagelos que caracterizam uma época violenta, de dissolvidas mudanças espirituais, marcada pelas cicatrizes da história da humanidade, como também minha própria concepção do drama humano. São imagens que se referem a um mundo que estremece sobre o que antes se tinha como sólido. Abolindo as fronteiras entre sonho e realidade, vinculando o onírico e o existencial.

Tomado pelos espaços abertos, o horizonte e as superfícies planas, o conjunto sugere uma ideia de que tudo ocorre ao mesmo tempo. Convidando àquela situação de grande tensão emanada dos acontecimentos, revelando uma humanidade interiormente violentada, ora temerosa, ora indiferente. Expressa, na turbação existencial e mística do mundo contemporâneo, uma estreita relação entre composições imaginadas e reais, evocando uma força interna remetendo-as aos fatos, sem vinculá-las a um acontecimento especial. Utilizando a técnica da tinta óleo sobre tela, a pintura convida à uma atmosfera inebriante da mancha, trazendo uma feroz analogia à realidade.

“Desolação” nos apresenta o rastro de destruição que insiste em perpetuar. Cria relações ambíguas ao materializar plasticamente especulações sobre as angústias do humano, almejando uma crítica e uma lembrança à humanidade, que se condena nos próprios erros. Que provocam um sintoma de suplício coletivo. Pois, à medida em que a desconfiança atravessa nossas vivências e nossas expectativas são colocadas em questão, a esperança é o que buscamos quando distorcemos a realidade.

Tour virtual

 

Para navegar dentro do tour virtual, clique no centro da imagem abaixo.

Se quiser seguir em uma navegação automática, clique no “play” que aparece abaixo, à esquerda. Caso prefira seguir por conta própria, utilize o mouse e os círculos no chão da galeria para se movimentar. Acesse informações sobre as obras e/ou sobre a exposição clicando nos círculos pequenos nas paredes.

Para saber mais, navegue no menu à esquerda.

 

Obras

 

Culpa II (2021)

Óleo sobre tela

100 x 120 cm

Foto: Fernanda Campos

 

Caos (2021)

Óleo sobre tela

60 x 60 cm

Foto: Fernanda Campos

 

Blecaute (2021)

Óleo sobre tela

160 x 180 cm

Foto: Fernanda Campos

 

Tentação (2021)

Óleo sobre tela

40 x 100 cm

Foto: Fernanda Campos

 

Silêncio (2021)

Óleo sobre tela

60 x 60 cm

Foto: Fernanda Campos

 

Ritual (2021)

Óleo sobre tela

60 x 60 cm

Foto: Fernanda Campos

 

Projeções (2021)

Óleo sobre madeira

30 x 30 cm

Foto: Fernanda Campos

 

Pacto (2021)

Óleo sobre tela

60 x 60 cm

Foto: Fernanda Campos

 

Exílio (2021)

Óleo sobre madeira

30 x 30 cm

Foto: Fernanda Campos

 

Evocação (2021)

Óleo sobre tela

20 x 20 cm

Foto: Fernanda Campos

 

Estudo (2021)

Óleo sobre madeira

30 x 30 cm

Foto: Fernanda Campos

 

Idealização (2021)

Óleo sobre tela

60 x 60 cm

Foto: Fernanda Campos

 

Desolação (2021)

Óleo sobre tela

100 x 100 cm

Foto: Fernanda Campos

 

Desespero (2021)

Óleo sobre tela

60 x 60 cm

Foto: Fernanda Campos

 

Dança (2021)

Óleo sobre madeira

30 x 30 cm

Foto: Fernanda Campos

Exposição

 

Foto: Leo Lara/Studio Cerri

 

Foto: Leo Lara/Studio Cerri

 

Foto: Leo Lara/Studio Cerri

 

Foto: Leo Lara/Studio Cerri

 

Foto: Leo Lara/Studio Cerri

 

Foto: Leo Lara/Studio Cerri

 

Sobre as obras

 

A exposição “Desolação” é composta por 15 pinturas a óleo. Cada obra nasce de um impulso inicial, catártico, incerto, gestual e necessário, para, só então, se transformar em paisagem. Mateus Moreira destaca que o próprio espaço da imagem começa a sugerir suas condições, como as diversas possibilidades de cores, formas e acidentes pictóricos. “Me identificar nesse processo é fundamental. É necessário perceber o que há de mim ali, ainda que eu não tenha a compreensão dos significados. Existe algo inconsciente que deseja se manifestar em tinta, e eu realizo inúmeras tentativas até que o todo esteja em união”, analisa.

As obras são marcadas pelos flagelos de uma época violenta, dissolvida por mudanças espirituais e cicatrizes históricas. Revelam dramas de humanidade que ora está temerosa, ora indiferente. Em “Desolação”, o público é apresentado ao rastro de destruição que se perpetua em nossas angústias. De forma plástica, convida para a reflexão sobre como nos condenamos com nossos próprios erros e temos as vivências atravessadas pela distorção da realidade.

Lista de obras

 

  • Culpa II (2021)
  • Caos (2021)
  • Blecaute (2021)
  • Tentação (2021)
  • Silêncio (2021)
  • Ritual (2021)
  • Projeções (2021)
  • Pacto (2021)
  • Exílio (2021)
  • Evocação (2021)
  • Estudo (2021)
  • Idealização (2021)
  • Desolação (2021)
  • Desespero (2021)
  • Dança (2021)

Mateus Moreira

 

Foto: Leo Lara/Studio Cerri

 

Natural de Belo Horizonte, Mateus Moreira tem formação em Pintura e Desenho no curso de Artes Visuais da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Já participou de diversas mostras coletivas em Belo Horizonte.

Em 2020, apresentou sua primeira mostra individual, “Resiliências”, na Galeria Nello Nuno, da Fundação de Arte de Ouro Preto (FAOP). No mesmo ano, participou também do IX Salão de Arte de Itabirito, recebendo o prêmio de menção honrosa.

Em 2021, participou do 12° Salão Artistas Sem Galeria, apresentando seu trabalho na Galeria Zipper e Lona Galeria, em São Paulo. Nessa exposição coletiva, foi um dos três selecionados para a premiação do Salão.

Participa da exposição coletiva Cadernos de Artista na Galeria Lona e, assim, persiste na construção e amadurecimento do seu trabalho.

Bate-papo com o artista

 

 

Programação paralela

 

No dia 5 de outubro será realizado um bate-papo ao vivo com Mateus Moreira, que vai compartilhar com o público detalhes sobre suas obras e seu processo criativo. A participação é gratuita, com retirada de ingressos pela Sympla.

Durante o período expositivo também serão disponibilizadas visitas virtuais gratuitas, com mediação ao vivo do Programa Educativo da Casa Fiat de Cultura. Para participar é necessário se inscrever pela Sympla. As datas para essas visitas, no mês de outubro, são: 

  • 14 de outubro, às 19h
  • 21 de outubro, às 16h
  • 28 de outubro, às 19h (com tradução em Libras)

Para escolas, universidades e grupos interessados em mediação exclusiva, o Programa Educativo está promovendo visitas em horários alternativos. Os interessados devem enviar e-mail para agendamento@fcagroup.com e conferir a disponibilidade.

Piccola Galleria

 

O espaço é destinado a artistas da cena contemporânea e foi criado em 2016, com o intuito de incentivar a produção nacional e internacional. Os artistas são selecionados por uma comissão de especialistas, que, nesta 4ª edição, conta com a historiadora e educadora Janaína Melo, curadora e integrante do Conselho Internacional de Museus (ICOM-BR); o curador e crítico de arte Márcio Sampaio; e o artista e professor Marco Paulo Rolla, da Escola Guignard.

A proposta é apresentar e destacar trabalhos inéditos – pinturas, desenhos, gravuras, esculturas, fotografias, instalações, performances e/ou videoarte – de artistas locais, brasileiros ou estrangeiros. Além de Mateus Moreira, outros cinco artistas foram selecionados na 4ª edição, e as mostras estão sendo exibidas no calendário de 2021 e 2022. Nas quatro edições, a Piccola Galleria recebeu 424 inscrições, e, entre 2016 e 2020, já apresentou o trabalho de 18 artistas, 248 obras de arte, e recebeu mais de 150 mil visitantes.

A sala expositiva é um ambiente dedicado às artes visuais e sua criação marcou os 10 anos da Casa Fiat de Cultura. Situado ao lado do painel “Civilização Mineira”, de Candido Portinari, no hall principal da Casa Fiat de Cultura, o espaço é destinado a exposições de curta duração, mas com toda a visibilidade que a instituição enseja. Local intimista e com grande circulação de público, conta com a chancela da Casa Fiat de Cultura e do Circuito Liberdade, um dos mais importantes corredores culturais do país.

Casa Fiat de Cultura

 

A Casa Fiat de Cultura cumpre importante papel na transformação do cenário cultural brasileiro, ao realizar prestigiadas exposições. A programação estimula a reflexão e interação do público com várias linguagens e movimentos artísticos, desde a arte clássica até a arte digital e contemporânea.

Por meio do Programa Educativo, a instituição articula ações para ampliar a acessibilidade às exposições, desenvolvendo réplicas de obras de arte em 3D, materiais em braille e atendimento em libras.

Mais de 60 mostras, de consagrados artistas brasileiros e internacionais, já foram expostas na Casa Fiat de Cultura, entre os quais Caravaggio, Rodin, Chagall, Tarsila, Portinari, entre outros. Há 15 anos, o espaço apresenta uma programação diversificada, com música, palestras, residência artística, além do Ateliê Aberto – espaço de experimentação artística – e de programas de visitas com abordagem voltada para a valorização do patrimônio cultural e artístico.

A Casa Fiat de Cultura é situada no histórico edifício do Palácio dos Despachos e apresenta, em caráter permanente, o painel de Portinari, Civilização Mineira, de 1959. O espaço integra um dos mais expressivos corredores culturais do país, o Circuito Liberdade, em Belo Horizonte. Mais de 3 milhões de pessoas já visitaram suas exposições e 560 mil participaram de suas atividades educativas. 

Serviço

 

Exposição virtual “Desolação”– Mateus Moreira na Piccola Galleria da Casa Fiat de Cultura

5 de outubro a 28 de novembro

 

Abertura da exposição virtual: Bate-papo ao vivo com Mateus Moreira

5 de outubro, das 19h às 20h, em transmissão ao vivo
Ingressos gratuitos pela Sympla: https://bit.ly/BatePapoMateusMoreira 

 

Visitas virtuais com mediação online 

  • 14 de outubro, às 19h
  • 21 de outubro, às 16h
  • 28 de outubro, às 19h (com tradução em Libras)

As datas de novembro serão divulgadas em breve.

Inscrições gratuitas pela Sympla

 

Casa Fiat de Cultura

Circuito Liberdade

Praça da Liberdade, 10 – Funcionários – BH/MG

 

Informações

(31) 3289-8900

www.casafiatdecultura.com.br

casafiat@fcagroup.com

facebook.com.br/casafiatdecultura

Instagram: @casafiatdecultura

Twitter: @casafiat

YouTube: Casa Fiat de Cultura

http://www.circuitoliberdade.mg.gov.br/


Mais informações sobre o artista

Instagram: @pteus_

 

Informações para a Imprensa

Personal Press

Polliane Eliziário – polliane.eliziario@personalpress.jor.br – (31) 99788-3029

Raquel Braga – raquel.braga@personalpress.jor.br – (31) 99548-9158

Balklänning Robe De Mariée Robe De Mariée Balklänning